Cruzeiro RS (2).png

Estádio da Montanha e excursões à Europa

Na década de 1940, o clube faz seu grande esforço de crescimento. Em 7 de março de 1941, o Cruzeiro inaugurou o Estádio da Montanha, no bairro Medianeira. Na estreia, derrotou o São Paulo por 1 a 0, gol de Gervásio, diante de mais de 20.000 pessoas. Quando da sua inauguração, era o maior estádio da cidade.[1] Em 1944, contratou o técnico húngaro Emérico Hirschl, que trouxe consigo a famosa dupla de atacantes argentinos Enrique Flamini e Alejandro Lombardini. Flamini já havia atuado pela Lazio, da Itália.[1] Antigos dirigentes do clube costumavam dizer que, se o Internacional não estivesse em uma fase tão boa na primeira metade dos anos 1940, talvez hoje o Cruzeiro fosse um terceiro time grande na cidade.[1]

Outro período áureo foi o pioneirismo gaúcho em excursões para a Europa,[1] Ásia e Oriente Médio, na virada do ano de 1953 para 1954. Depois de 11 dias viajando de navio, jogaram contra times considerados grandes, como Real Madrid (segurou o empate em 0 a 0),[1] LazioFenerbahçeBeşiktaş e Galatasaray, além da Seleção de Israel (foi o primeiro time brasileiro a jogar em Israel) e da Seleção da Turquia. O clube teve resultados positivos. Jogou 15 partidas, venceu sete, empatou quatro e perdeu outras quatro, marcando 28 e sofrendo 20 gols; o aproveitamento percentual foi de 55,55%. A excursão foi tão capacitada que o clube voltou no ano de 1960 à terra dos desbravadores. Nesta viagem, jogou contra times como SevillaSpVgg Bayern Hof (da 1ª divisão alemã, antes da criação da Bundesliga), Dínamo de Zagreb e outros, além de seleções como TchecoslováquiaSeleção Olímpica da Dinamarca e Bulgária. E voltou com um aproveitamento parecido, de 54,16%, jogando 24 partidas, com 11 vitórias, seis empates e sete derrotas, marcando 39 gols e sofrendo 35. Nesta campanha, conseguiu um título, o Torneio de Páscoa de Berlim, um campeonato importante para a época[carece de fontes], o primeiro título intercontinental de futebol de um clube gaúcho, derrotando o Bayern de Munique na final. Para exemplificar como a segunda excursão foi satisfatória, os dirigentes do dinamarquês Randers FC, um dos adversários na excursão, enviaram uma carta ao Cruzeiro onde eles afirmavam que nunca iam esquecer do time que os tinha derrotado.

Além desses títulos, o Cruzeiro conta na sua galeria com o primeiro Torneio Internacional de Páscoa de Mar del Plata, na Argentina, em 1961, e sagrou-se o primeiro Campeão da Copa Governador do Estado do Rio Grande do Sul, em 1970, ao derrotar o Esporte Clube Novo Hamburgo em final disputada no Estádio Beira-Rio.

Venda do Estádio da Montanha, decadência e recesso

A decadência do clube começou no final da década de 1960, quando o presidente Rafael Peres Borges vendeu o Estádio da Montanha para a construção do Cemitério Ecumênico João XXIII. O último jogo do Cruzeiro na Montanha ocorreu no dia 8 de novembro de 1970, com vitória por 3 a 2 sobre o Liverpool do Uruguai. Muitos torcedores deixaram o local chorando.[1] Na década de 1970, o clube construiu o Estádio Estrelão, no final da Avenida Protásio Alves, atualmente Jardim Carvalho. Inaugurado em abril de 1977, o Estrelão foi a casa do Cruzeiro até 2012. Em 1979, o futebol profissional do clube entrou em recesso, só voltando em 1991.

 

Venda do Estádio Estrelão e obras da Arena Cruzeiro

Em 30 de julho de 2010, o Cruzeiro negociou a área de seu estádio. Em permuta, o clube comprou uma área de sete hectares no Pólo Industrial de Cachoeirinha, na região metropolitana de Porto Alegre, onde está sendo construído o novo estádio. Ele tem o formato de arena, com 16 mil lugares, nos padrões exigidos pela FIFA, o que credenciaria o município a ser a sede de treinamento para as seleções que vão disputar a Copa do Mundo FIFA de 2014 no Brasil, entretanto a Arena Cruzeiro não ficou pronta a tempo. No Campeonato Gaúcho de Futebol de 2011, o clube ainda mandou os seus jogos no Estrelão, assim como no Gauchão de 2012. O novo estádio seria inaugurado em 2014, mas com a árdua luta para obter recursos e manter o projeto original as obras passaram a ser previstas para serem concluídas no início de 2015, a tempo de jogar o Gauchão no seu estádio a partir de fevereiro de 2015.[3][4] Porém, o clube seguiu com dificuldades financeiras para finalizar a Arena Cruzeiro, que seguiu em obras e só foi liberada parcialmente em 2019, o que possibilitou ao Cruzeiro passar a sediar seus jogos em Cachoeirinha a partir de março daquele ano. Atualmente, ainda existem obras em andamento no estádio.

Campanhas de destaque no Gauchão

No Gauchão de 2011, que marcou o retorno do clube à elite do futebol gaúcho após 32 anos, o Cruzeiro começou ganhando do Internacional por 1 a 0 no dia 16 de janeiro. O Estrelado chegou às semifinais da Taça Piratini de 2011, primeiro turno do Estadual. Após ter passado pelo Internacional nas quartas-de-final, com um empate em 1 a 1 e a vitória nos pênaltis em pleno Beira-Rio, acabou sendo eliminado pelo Grêmio no estádio Olímpico. No segundo turno, na Taça Farroupilha de 2011, o Cruzeiro chegou novamente nas semifinais. Na classificação geral do campeonato, o Cruzeiro ficou com a quarta melhor campanha, e obteve a classificação para disputar a Série D do Campeonato Brasileiro, retornando a uma competição nacional após 43 anos.[4][5] A única disputa oficial interestadual do clube estrelado até então havia sido o Torneio Gaúcho Qualificatório ao Torneio Centro-Sul de 1968, apesar do clube ter sido eliminado ainda na fase estadual do certame. Entretanto, a participação na Série D acabou logo, com o clube sendo eliminado antes do fim da primeira fase. Na competição, o Cruzeiro mandou seus jogos no Estádio Passo D'Areia, pertencente ao São José-RS, em Porto Alegre.

No ano de 2015, o Cruzeiro voltou a ter destaque no Gauchão ao classificar para as quartas de final da competição. Em jogo único, o Estrelado enfrentou o Internacional no Estádio Beira-Rio e fez uma excelente partida abrindo 2 a 0 de vantagem. Entretanto, após dois pênaltis polêmicos marcados para o time da casa e a expulsão de um zagueiro cruzeirista, o Colocrado empatou o jogo em 2 a 2 levando a decisão para os pênaltis. Na disputa de penalidades, a equipe da casa levou a melhor e o Cruzeiro encerrou sua participação no campeonato com muita dignidade.

Em 2017, treinado por Ben Hur Pereira, o Cruzeiro teve uma de suas melhores campanhas na história do Gauchão. Apresentando um grande futebol naquele ano, o Estrelado surpreendeu a todos ao encerrar a fase classificatória, que contava com 12 equipes, em 2º lugar com 20 pontos conquistados. Nesta fase, o clube venceu 5 partidas, uma delas contra o Internacional, empatou outras 5 e sofreu apenas uma derrota, que foi para o Grêmio. Contudo, o cruzamento na fase de quartas de final colocou novamente o Internacional no caminho cruzeirista. Apesar de ter a vantagem de decidir em casa, o Cruzeiro foi derrotado pelo Colorado tanto na partida de ida quanto na volta e foi eliminado do Gauchão daquele ano.

Arena Cruzeiro

Após a despedida oficial do Estádio Estrelão em 2012, o Cruzeiro disputou 6 edições do Gauchão sem ter sua casa própria, uma vez que a Arena Cruzeiro estava em construção e não estava apta a receber jogos. Com isso, o Estrelado atuou como mandante em diversos estádios do futebol gaúcho nesse período. Somente em 2019, primeiro ano após a queda à Divisão de Acesso, a Arena Cruzeiro foi liberada pelo Corpo de Bombeiros da cidade de Cachoeirinha para receber os jogos do Cruzeiro, apesar de não estar com as obras completamente finalizadas. O estádio, que terá capacidade para 16.000 espectadores, teve apenas cerca de 2.000 lugares liberados na arquibancada sul, atrás de uma das goleiras.

O jogo inaugural da Arena Cruzeiro foi realizado no dia 13 de março de 2019 entre Esporte Clube Cruzeiro e Esporte Clube São Gabriel. O placar não saiu do zero, porém a torcida cruzeirista fez linda festa e lotou o seu espaço na arquibancada. A rede só balançou no novo estádio da cidade de Cachoeirinha no terceiro jogo disputado no local, no dia 24 de março de 2019. O atacante Wander, do Cruzeiro, não somente marcou o primeiro gol oficial da Arena Cruzeiro, como também fez os dois gols na vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio Esportivo Bagé, a primeira vitória do Estrelado no seu novo estádio.

Em 27 de maio de 2021, o Conselho Deliberativo do Cruzeiro aprovou de forma unânime a mudança no nome oficial da arena para Estádio Dirceu de Castro. Dirceu foi presidente do clube entre 2008 e 2013 e de 2020 até abril de 2021, quando faleceu, vítima de Covid-19.

Campeão Gaúcho Juvenil

No ano de 2019, o Cruzeiro conquistou o maior título de suas categorias de base até então. Em 9 de novembro de 2019, o Estrelado de Cachoeirinha sagrou-se campeão gaúcho juvenil. O grande momento da campanha cruzeirista foi na semi-final da competição quando o clube eliminou o Sport Club Internacional. O título inédito veio na final contra o Grêmio Esportivo Brasil. No jogo de ida, no Estádio Bento Mendes de Freitas em Pelotas, vitória cruzeirista de virada por 3 a 1, com dois lindos gols de Leonardo Tiba e um gol de cabeça de João Vitor Cordeiro para fechar o placar. Na partida de volta, disputada na Arena Cruzeiro em Cachoeirinha, o empate em 1 a 1, com gol de Zeca, garantiu a taça para o time estrelado. O Cruzeiro disputou 22 jogos na campanha do título vencendo 14 partidas, empatando 4 e sofrendo 4 derrotas. Foram 35 gols marcados e 21 gols sofridos. O título classificou o Cruzeiro para a disputa da Copa do Brasil Sub-17, onde o Cruzeiro enfrentou o Ceará e foi eliminado.

Fundação

O Cruzeiro foi fundado no dia 14 de julho de 1913, em Porto Alegre. Uma agremiação que desbravou o mundo e originou as categorias de base no Rio Grande do Sul. Inicialmente, fora sugerido o nome de 14 de Julho para o novo clube, devido ao dia de sua fundação. Porém, um dos fundadores sugeriu que se chamasse Cruzeiro.

O primeiro estádio do clube foi a Vila Cruzeiro, que estava localizada na Estrada do Mato Grosso (atual Avenida Bento Gonçalves, no Bairro Partenon). Em 1920 mudou-se para o Caminho do Meio, estádio onde ficou durante 18 anos. No ano de 1929, após ter vencido o Citadino por duas vezes (1918 e 1921), o Estrelado conquistou o Estado. O Campeonato Gaúcho deveria ter começado em 1918, após a criação da FRGD em maio daquele ano, mas a epidemia da Gripe Espanhola impediu a realização da disputa, que reuniria o Cruzeiro, como campeão de Porto Alegre, e o GE Brasil, como campeão de Pelotas.

O Cruzeiro teve na sua história altos e baixos. Nos primeiros cinquenta anos de sua existência, foi um clube que incomodava os grandes times, sendo a ser reconhecido como a terceira força do Rio Grande do Sul, atrás apenas de Internacional e Grêmio, tradição pela qual chegou a ser convidado a participar do Campeonato Brasileiro de 1974 juntamente com a dupla Gre-Nal, convite que a CBD chegou a fazer, mas depois voltou atrás e "desconvidou" o clube há cerca de 20 dias do início da competição.